sábado, 27 de abril de 2019

uma música para o fim de semana - Samuel Úria


A letra. Esta letra é fenomenal. Uma reflexão, um discorrer sobre o que é ser homem, o que é ser mulher. Principalmente sobre o primeiro.

A guitarra é tocada de uma forma muito económica. Dá tempo ao tempo, as suas frases são simples e recatadas e a banda está praticamente ausente, mas aos 4.34 tudo explode. Há exuberância e fulgor. A emoção não se contem mais, o que tem que ser dito, sai de rajada. Aos 05.22 este desabafo, esta incontinência cessa e a calmaria regressa.
Mas a letra, essa...


Bom fim de semana ☺




Empresta-me os teus olhos uma vez
Que os meus não são de gente, apenas a paz
É só o tempo de me aperceber
Na vida, o que se turva para ser de mulher
Empresta-me uma chávena de sal
E mostra-me a receita do caldo lacrimal
É só o tempo de te convencer
Que nem precipitado consigo chover
Não é um adágio que nos persegue
Que um homem só não chora porque não consegue
Empresta-me esse efeminado luto
Ser masculino é ter-se o lenço enxuto
É só o tempo de me maquilhar
De pranto transparente, a cor de mulher
Não nasci pedra, nasci rapaz
Que um homem só não chora por não ser capaz
Os homens fazem fogo
Com dois paus, eles fazem fogo
Por troca, ensino-te a queimar
Tu és corrente, e eu finjo o mar
Que um homem para que chore, não pode chorar
Que um homem para que chore, não pode chorar


quinta-feira, 25 de abril de 2019

25 de Abril - dia da Liberdade


Quando se sente a liberdade, após anos de ditadura, maus tratos e desrespeito pelo indivíduo e personalidade em circos, laboratórios, aquários, aviários, zoológicos, etc..., etc..