sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

em dia de São Valentim... Cupido


Bem mais interessante que um boçal santo da religião cristã como São Valentim, é um deus pagão, da mitologia greco-romana. Penso em Cupido. Deus romano do amor, equivalente a Eros na mitologia grega. Filho do deus da guerra, Marte e de Vénus, a deusa do amor e beleza.

Representado como um menino ou jovem alado, algo desastrado, malicioso e de invulgar beleza, que carregava consigo um arco e setas. Quando os seus alvos eram atingidos pelas setas do deus romano, estas despertavam de imediato o amor e a paixão.

Diz a lenda que nem o próprio Cupido terá escapado às suas próprias setas porque a querer disparar um seta sobre uma mortal chamada Psique, este feriu-se com uma delas apaixonando-se perdidamente por ela.







O amor, uma palavra é a luz
O que é que eu faço
Se é ele que me conduz

Também preciso do cupido que esculpiu
O teu sorriso, esse aqui que já me atingiu

Primeiro vem e faz, o pois, o sempre
A dois, eu vivo só para ti
Agora quando vais, me elevas tudo mais
Culpas-me sempre a mim

Primeiro vem e faz, o pois, o sempre
A dois, eu vivo só para ti
Agora quando vais, me elevas tudo mais
Culpas-me sempre a mim

É infinito, não tem tamanho, nem cor
Até acredito que talvez possa ser o amor

Tem o seu jeito de mudar tudo em redor
E se for bem feito
Deixa-te no teu melhor

Primeiro vem o faz, o pois, o sempre
A dois, eu vivo só para ti
Agora quando vais, me elevas tudo mais
Culpas-me sempre a mim

Primeiro vem o faz, o pois, o sempre
A dois, eu vivo só para ti

Primeiro vem o faz, o pois, o sempre
A dois, eu vivo só para ti
Agora quando vais, me elevas tudo mais
Culpas-me sempre a mim



quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Bob Marley 75


Se Bob Marley estivesse vivo comemoria hoje 75 anos.

É tremendamente dificil para escolher uma canção preferida de BoB Marley. Three Little Birds é talvez a escolhida.
Mas para este dia elejo Redemption Song. Pertence ao último album, Uprising, que ele assinou antes da sua morte em 1981. O seu canto do cisne uma vez que o cantor jamaicano sabia que tinha pouco tempo de vida

Este clip foi criado especialmente para celebrar o seu aniversário na data de hoje.





Old pirates, yes, they rob I
Sold I to the merchant ships
Minutes after they took I
From the bottomless pits

But my hand was made strong
By the hand of the Almighty
We forward in this generation
Triumphantly

Won't you help to sing
These songs of freedom?
'Cause all I ever have
Redemption songs
Redemption songs

Emancipate yourself from mental slavery
None but our self can free our minds
Have no fear for atomic energy
'Cause none of them can stop the time
How long shall they kill our prophets
While we stand aside and look?
Some say it's just a part of it
We've got to fulfill the book

Won't you help to sing
These songs of freedom?
'Cause all I ever had
Redemption songs
Redemption songs
Redemption songs

Emancipate yourselves from mental slavery
None but ourselves can free our mind
Oh, have no fear for atomic energy
'Cause none of them can stop the time
How long shall they kill our prophets
While we stand aside and look?
Some say it's just a part of it
We've got to fulfill the book

Won't you help to sing
These songs of freedom?
'Cause all I ever had
Redemption songs
All I ever had
Redemption songs

These songs of freedom
Songs of freedom



quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Janeiro


O mês de Janeiro está quase, quase a partir.
Anouar Brahem em Souvenance compõe este tema em honra do mês que inicia cada ano novo.

Tranquilo, sereno, sem pressa como tudo o que começa de novo deve ser. Mas também como em toda a música do alaudista tunisino, não sinto o frio, a chuva, o vento que caracterizam este mês. Antes Janeiro como tendo dias amenos, bafejados pelas temperaturas quentes do deserto que suavizam a por vezes inclemência do primeiro dos doze meses do ano.








terça-feira, 21 de janeiro de 2020

triste


Os australianos recusam as alterações climáticas que lhes está a devastar o país em incêndios como nunca houve antes em toda a sua história. Alimentam, com helicópeteros, os animais selvagens atirando-lhes cenouras e batatas doces. Em contra partida assassinam a tiro mais de cinco mil camelos e decidem matar milhões de gatos ferais por envenenamento.

O ser humano é um animal incapaz de comportar com a nobreza de um.
Não merecemos este planeta e todos os seres vivos que têm a infelicidade de partilhar as suas vidas connosco.






quarta-feira, 8 de janeiro de 2020