sábado, 11 de agosto de 2018

uma música para o fim de semana (na silly season) - Sérgio Rossi


Com sorriso chapa 5, cabelo pintado e penteado ao milímetro, gestos amplos e estereotipados, voz esganiçada, letra a valer zero e com música electrónica a condizer, tudo nos diz que estamos na presença de uma produção pimba.

Uma rápida incursão ao inglês na letra, tenta dar-lhe um toque de sofisticação e internacionalização. O que até é bem capaz de ter conseguido, porque o vídeo da canção - Menina - deste fim de semana em formato silly season está a rondar o meio milhão de visualizações o que não coisa pouca para um cantor português. E nós vamos contribuir com mais umas quantas...

Este rapazinho que dá o litro na canção Menina, de nome Sérgio Rossi, é irmão da Romana, ou seja a força do pimba é realmente forte nesta família.


Bom fim de semana  ☺






sexta-feira, 10 de agosto de 2018

uma ida ao baú - Ma Baker (Boney M.)


Há 10 anos, neste mês, estava numa das viagens mais marcantes para mim em muitos aspectos.
Viajava pela Mongólia e em pleno deserto de Gobi, o condutor da carrinha 4X4 de fabrico russo (UAZ), tipicamente usadas pelos mongóis para cruzar o Gobi, ficou atolada num rio de lama.

A carrinha não saiu de lá e o grupo viu-se forçado a acampar para suavizar o calor enquanto uma nova carrinha não chegava para retomar a viagem.
O condutor da nova carrinha, chamava-se Bayra. Super simpático e extrovertido, tinha uma fixação pela música disco. Praticamente só tinha disco e o que ouvimos quase até ao exaustão ao longo de vários dias foi Boney M.

Tenho que concordar com Bayra. Boney M é a banda que melhor representa o espírito disco: exuberante, vibrante, expansiva e cheio de boa onda.
O reportório disponível não era muito variado mas estava recheado de clássicos da banda: Rasputin, Daddy Cool, Rivers of Babylon, Hooray! Hooray!, Gotta Go Home, Sunny e... Ma Baker.

Esta última de longe é a que mais faz vibrar. É uma velha conhecida minha,
Escrita a pensar numa criminosa muito versátil - roubo, extorsão, raptos e assassinato que morreu num tiroteio com o FBI - de nome Ma Barker.
A letra é bastante clara e fiel à vida de Ma. Tem inclusive um narrador que introduz um ritmo muito próprio à canção.
Ma Baker surge como single em 1977 e empresta o seu nome a uma colectânea de sucesso dos Boney M lançada em 1989.
Creio que foi a este álbum que Bayra "roubou" as canções que ouvimos horas e dias a fio.

Ma Baker, entre outros temas que circulavam pelo grupo, atira-me de imediato para uns dos dias mais felizes e inesquecíveis da minha vida.




"Freeze I'm Ma Baker
Put your hands in the air
Give me all your money"

spoken:
"This is the story of Ma Baker
The meanest cat from old Chicago town"

She was the meanest cat
In old Chicago town
She was the meanest cat
She really mowed them down
She had no heart at all
No no no heart at all

She was the meanest cat
Oh she was really tough
She left her husband flat
He wasn't tough enough
She took her boys along
'Cause they were mean and strong

Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she taught her four sons
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - to handle their guns
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she never could cry
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - but she knew how to die

They left a trail of crime
Across the U.S.A.
And when one boy was killed
She really made them pay
She had no heart at all
No no no heart at all

Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she taught her four sons
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - to handle their guns
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she never could cry
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - but she knew how to die

And then a man she liked
She thought she'd stay with him
When he informed on them
They did away with him
She didn't care at all
Just didn't care at all

spoken:
"Here is a special bulletin
Ma Baker is the FBI's most wanted woman
Her photo is hanging on every post office wall
If you have any information about this woman
Please contact the nearest police station"

spoken:
"Don't anybody move! The money or your lives!"

One day they robbed a bank
It was their last foray
The cops appeared too soon
They couldn't get away
And all the loot they had
It made them mighty mad
And so they shot it out
Ma Baker and her sons
They didn't want to hang
They died with blazing guns
And so the story ends
Of one who left no friends

Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she taught her four sons
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - to handle their guns
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she never could cry
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - but she knew how to die

Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she taught her four sons
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - to handle their guns
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - she never could cry
Ma Ma Ma Ma - Ma Baker - but she knew how to die



quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Hiroshima e Nagasaki 73


Há 73 anos, a 06 de Agosto de 1945 e 09 de Agosto do mesmo ano, caíram no Japão as duas únicas bombas atómicas lançadas pela humanidade. As cidades foram Hiroshima e Nagasaki.

As bombas tinham naturezas e potências diferentes mas na sua essência o seu objectivo era igual: matar e destruir a uma escala que o ser humano nunca tinha visto ao longo da sua história.
A de Hiroshima era a mais potente e feita de urânio, chamava-se Little Boy, a de Nagasaki, construída com plutónio, Fat Man.

Um pequeno excerto de um documentário da BBC, baseado em testemunhos de sobreviventes, recria e descreve o resultado e as consequências da bomba lançada sobre a cidade de Hiroshima.
Mas o bombardeamento de Nagasaki escreve-se da mesma forma, com as mesmas linhas tortas e distorcidas. Os testemunhos serão diferentes, mas as dores, o sofrimento e o horror provocado, são iguais.







terça-feira, 7 de agosto de 2018

um poema de... Sophia Mello Breyner



A Hora da Partida

A hora da partida soa quando
Escurece o jardim e o vento passa,
Estala o chão e as portas batem, quando
A noite cada nó em si deslaça.

A hora da partida soa quando
as árvores parecem inspiradas
Como se tudo nelas germinasse.

Soa quando no fundo dos espelhos
Me é estranha e longínqua a minha face
E de mim se desprende a minha vida.

Sophia Mello Breyner