segunda-feira, 11 de novembro de 2019

E foi há uma década...


A Esteira chega aos dez anos de vida quase num estertor.

No último ano praticamente caiu uma das suas rubricas emblema: Uma música para o fim de semana.
Durante cerca de sete anos e meio, semanalmente, aos sábados, havia sempre uma música proposta para o fim de semana.
Na esmagadora maioria das vezes essa proposta era de músicos nacionais ou originários de países de língua portuguesa e era acompanhada de um texto que descrevia o motivo dessa escolha e sempre que possível a letra da mesma era colocada.
Admito que saturei um pouco deste formato. Apesar de existir bons e grande nomes de músicos e bandas nacionais, não sou um seguidor feroz das várias vertentes da música nacional.

Entretanto a Esteira tem trilhado um novo caminho que fala muito comigo e está presente em todos os momentos da minha vida, no meu dia a dia: o amor, o carinho, a necessidade de proteger a minha, a nossa casa: a bela Terra.
Chamar a atenção para a forma como a fazemos sofrer, como a maltratamos, como ignoramos os seus lamentos. Chamar a atenção para a forma como somos descuidados para com ela, como somos egoístas e destrutivos. Agimos como se ela fosse nossa quando é verdadeiramente o contrário.

Bem de qualquer maneira, hoje a Esteira celebra dez anos de vida.
Chamo ao palco da Esteira, um dos nomes que várias vezes apareceu em Uma música para o fim de semana: Paulo de Carvalho.
Este enorme senhor da música portuguesa está acompanhado de outro nome que muitas vezes, senão o que mais vezes apareceu, pisou o palco da Esteira: Rui Velos.

"10 anos é muito tempo, muitos dias, muitas horas a..." 

Parabéns a todos nós ☺






série "matching" de Stefan Draschan - LXXXII