terça-feira, 5 de maio de 2020

(O primeiro) dia mundial da Língua Portuguesa





Hoje celebra-se pela primeira vez o dia mundial da Língua Portuguesa.
Que me desculpem os defensores de Camões ou os queirosianos, mas se há paladinos da língua portuguesa no mundo, há vários, Fernando Pessoa é o maior deles.

Bernardo Soares, o semi-heterónimo de Fernando Pessoa, escreve no seu Livro do Desassossego:

"Não tenho sentimento nenhum politico ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriotico. Minha patria é a lingua portuguesa. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incommodassem pessoalmente. Mas odeio, com odio verdadeiro, com o unico odio que sinto, não quem escreve mal portuguez, não quem não sabe syntaxe, não quem escreve em orthographia simplificada, mas a pagina mal escripta, como pessoa própria, a syntaxe errada, como gente em que se bata, a orthographia sem ípsilon, como escarro directo que me enoja independentemente de quem o cuspisse."

Sim, porque a orthographia também é gente. A palavra é completa vista e ouvida. E a gala da transliteração greco-romana veste-m'a do seu vero manto régio, pelo qual é senhora e rainha."


A título de curiosidade e por uma questão de fidelidade, a ortografia original da altura foi mantida no excerto utilizado.


Excerto retirado daqui