sábado, 29 de dezembro de 2018

uma música para o fim de semana - Ciranda


Um delicioso regresso às origens. O melhor que a música portuguesa tem: a sua música popular.
Especialmente quando é revisitada, ou melhor, reinventada. Foi exactamente que o projecto Ciranda fez.
Dois instrumentos, um trompete (Gileno Santana) e um acordeão (Inês Vaz), a voz do enorme Vitorino e a letra tão, tão castiça e deliciosa é pertença do Manel Cruz, o mesmo dos Diabo na Cruz.


Bom fim de semana ☺







sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

última compra do ano - Helsinki Songs, Trygve Seim


O meu último álbum comprado este ano foi quase o contrário do que foi 2018.
Helsinki Songs do saxofonista (tenor e alto) norueguês Trygve Seim, chama-se assim por a maior parte dos os seus temas terem sido compostos na capital finlandesa, é no seu todo um trabalho calmo, relaxante, muito cool, pausado.

Dá tempo para respirar, ouvir o saxofone de Seim com atenção, de olhos fechados.
No segundo tema, Helsinki Song, o saxofonista e o seu pianista estónio, Kristjan Radalu, dão as mãos um ao outro e o resultado final é etéreo, idílico, de um grande colorido outonal. É fácil imaginar as folhas a caírem preguiçosamente e harmoniosamente dos ramos das árvores a atapetarem o alcatrão despido e frio.

Alias, ao longo dos vários temas, esta dupla saxofone e piano, surge para grande felicidade nossa várias vezes.
Como fã confesso do contrabaixista Mats Eilertsen, gostava que este tivesse um tempo de antena mais alargado, mais vistoso, mais interveniente ao longo do álbum.

E já que 2018 foi algo irrequieto e cansativo, pode ser que 2019 alinhe pelo sons pacificadores e suaves do quarteto de Trygve Seim.


Feliz Ano Novo






no comments






quinta-feira, 27 de dezembro de 2018